Logomarca do portal

Logomarca do portal
Prezado leitor, o Portal do Servidor Publico do Brasil é um BLOG que seleciona e divulga notícias que são publicadas nos jornais e na internet, e que são de interesse dos servidores públicos de todo o Brasil. Todos os artigos e notícias publicados têm caráter meramente informativo e são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados nos links ao final de cada texto, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Bem vindo ao nosso Portal

Seja bem-vindo ao nosso site!!!


OS DESTEMIDOS GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO

OS DESTEMIDOS  GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO
A situação é grave de todos os servidores da ex. Sucam dos Estados de Rondônia,Pará e Acre, que realizaram o exame toxicologicos, foram constatada a presença de compostos nocivos à saúde em níveis alarmantes. VEJA A NOSSA HISTÓRIA CONTEM FOTO E VÍDEO

SINDSEF RO

SINDSEF RO
SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICO DE RONDÔNIA

NOTÌCIAS DA CONDSEF

NOTÌCIAS DA CONDSEF
CONDSEF BRASIL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL
QUER COMPRAR OU VENDER É AQUI!!

GRUPO OFICIAL DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA

GRUPO OFICIAL  DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA
Este Grupo quer reiterar a gratidão e o respeito que sempre dedicam ao serviço público. Respeito expresso no diálogo: faça porte dessa família CURTINDO NOSSO PÁGINA NO FACEBOOK

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...
A VOZ DO POVO NA TRIBUNA

CAPESAUDE/CAPESESP

CAPESAUDE/CAPESESP
FOMULÁRIOS

Fale com a CAPESESP

Fale com a CAPESESP
ATEDIAMENTO VIRTUAR

TRANSIÇÃO DE GOVERNO 2018 2019

SELECIONE SEU IDIOMA AQUI.

quarta-feira, 20 de março de 2019

Governo Revisa Decreto Sobre Nomeações Para Prever Regras A Partir De 1º De Janeiro


G1     -     19/03/2019

Decreto publicado pelo governo na segunda-feira (18) aplica critérios da lei da Ficha Limpa para nomeação de cargos em comissão no Executivo Federal.


Brasília - O governo federal decidiu revisar nesta terça-feira (19) o decreto que aplica critérios da lei da Ficha Limpa para nomeação de cargos em comissão no Executivo Federal. Agora, as regras para nomeações passam a valem desde 1º de janeiro deste ano, e não a partir 15 de maio, como previa o decreto original do governo.


Apresentado como uma das medidas dos primeiros 100 dias de governo, o decreto foi publicado nesta segunda (18), no "Diário Oficial da União". Atualmente, a nomeação para cargos de comissão é livre e fica a cargo do ministro responsável pela área.


O ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, afirmou que haverá um novo decreto, com o novo prazo. Segundo o ministro, as regras do decreto valerão para todos os nomeados a partir de 1º de janeiro deste ano.


"O governo quer que os critérios valham para todos de maneira universal, e amanhã o presidente assina, tá aqui o documento, já com vigência imediata, de tal forma que os critérios que foram determinados pelo decreto publicado na sexta-feira, que tratam da incorporação aos atos da administração federal dos critérios da ficha limpa, valerão para todos aqueles que estão nomeados designados, desde primeiro de janeiro de 2019", afirmou o ministro.


Reação no Congresso


Mais cedo, nesta terça, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o decreto do governo é "muito bom" e "vai na linha correta", mas continha o "erro" de não prever as regras desde 1º de janeiro.


Rodrigo Maia disse, ainda, que os líderes partidários passaram a "cobrar" uma mudança na data de vigência do decreto.


“O decreto é muito bom, acho que vai na linha correta. Só acho que tem um erro. Ele tem que valer a partir de primeiro de janeiro. É uma coisa até meio impactante – fazer uma uma publicação de um decreto, chamar tanta atenção pra uma coisa que é fundamental. E que já é assim, de certa forma, só não tem uma regulação por decreto, mas a Casa Civil já faz assim há muitos anos, filtrando a qualificação. Mas valer só daqui pra frente? Parece que os de trás não precisam ter qualificação - os que foram nomeados a partir de primeiro de janeiro?”, afirmou Rodrigo Maia.


Regras do decreto


Os cargos em comissão de que trata o texto são os conhecidos como DAS e FCPE. São cargos da administração pública tidos como de confiança e não são preenchidos por concurso público. Isso não significa que servidores concursados não podem ocupá-los.


Pela nova norma, não poderão exercer cargos em comissão pessoas que caírem nos critérios de inelegibilidade da Ficha Limpa.


A Ficha Limpa torna inelegível, por exemplo, quem for condenado por órgão colegiado por crimes como: formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, crimes contra a administração pública, entre outros.


De acordo com o texto, são critérios gerais para as nomeações:


Idoneidade moral e reputação ilibada;


perfil profissional ou formação acadêmica compatível com o cargo ou a função para o qual tenha sido indicado;


aplicação da Lei da Ficha Limpa.


Há também outros requisitos estabelecidos no decreto, que são mais rígidos quanto maior for a remuneração do cargo em comissão.


Critérios específicos


O texto prevê, de acordo com o nível do cargo, exigências relacionadas a tempo de experiência e especialidades profissionais. O nomeado deve cumprir no mínimo um dos requisitos a seguir:


DAS e FCPE níveis 2 e 3


experiência profissional em atividades correlatas à área de atuação de 2 anos; ou


ter ocupado cargo ou função de confiança em qualquer poder público ou ente federativo por 1 ano; ou
especialização, mestrado ou doutorado na área do órgão ou do cargo; ou


ser servidor público ocupante de cargo efetivo de nível superior ou militar.


ter concluído cursos de capacitação em escolas de governo em áreas correlatas com o cargo/função indicado.


Nível 4


experiência profissional em atividades correlatas à área de atuação de 3 anos; ou


ter ocupado cargo ou função de confiança em qualquer poder público ou ente federativo por 2 anos; ou


especialização, mestrado ou doutorado na área do órgão ou do cargo; 


Nível 5 e 6


experiência profissional em atividades correlatas à área de atuação de 5 anos; ou 


ter ocupado cargo ou função de confiança em qualquer poder público ou ente federativo por 3 ano [DAS 3 ou superior]; ou


especialização, mestrado ou doutorado na área do órgão ou do cargo;


O texto ainda prevê que, em casos excepcionais, poderão ser dispensados os critérios específicos relacionados ao tempo de experiência e especialidades profissionais. De acordo com o decreto, o ministro deve justificar a dispensa dos critérios em casos de "peculiaridades do cargo ou do número limitado de postulantes para a vaga".


Por Cláudia Bomtempo e Flávia Alvarenga, TV Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS A GENTILEZA DOS AUTORES QUE NOS BRINDAM COM OS SEUS PRECIOSOS COMENTÁRIOS.

##############PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL##############