Logomarca do portal

Logomarca do portal
Prezado leitor, o Portal do Servidor Publico do Brasil é um BLOG que seleciona e divulga notícias que são publicadas nos jornais e na internet, e que são de interesse dos servidores públicos de todo o Brasil. Todos os artigos e notícias publicados têm caráter meramente informativo e são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados nos links ao final de cada texto, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Bem vindo ao nosso Portal

Seja bem-vindo ao nosso site!!!


OS DESTEMIDOS GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO

OS DESTEMIDOS  GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO
A situação é grave de todos os servidores da ex. Sucam dos Estados de Rondônia,Pará e Acre, que realizaram o exame toxicologicos, foram constatada a presença de compostos nocivos à saúde em níveis alarmantes. VEJA A NOSSA HISTÓRIA CONTEM FOTO E VÍDEO

SINDSEF RO

SINDSEF RO
SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICO DE RONDÔNIA

NOTÌCIAS DA CONDSEF

NOTÌCIAS DA CONDSEF
CONDSEF BRASIL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL
QUER COMPRAR OU VENDER É AQUI!!

GRUPO OFICIAL DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA

GRUPO OFICIAL  DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA
Este Grupo quer reiterar a gratidão e o respeito que sempre dedicam ao serviço público. Respeito expresso no diálogo: faça porte dessa família CURTINDO NOSSO PÁGINA NO FACEBOOK

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...
A VOZ DO POVO NA TRIBUNA

CAPESAUDE/CAPESESP

CAPESAUDE/CAPESESP
FOMULÁRIOS

Fale com a CAPESESP

Fale com a CAPESESP
ATEDIAMENTO VIRTUAR

TRANSIÇÃO DE GOVERNO 2018 2019

SELECIONE SEU IDIOMA AQUI.

domingo, 17 de junho de 2012

Reajuste só se for no grito


BSPF - 17/06/2012



Pelo andar da carruagem, o reajuste linear de 22%, principal reivindicação dos servidores do Executivo na campanha salarial 2012/2013, dificilmente vai sair. O secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, argumenta que simplesmente não há de onde tirar os R$ 25 bilhões necessários para cobrir o aumento.



Depois do péssimo resultado do PIB no primeiro trimestre, com crescimento de apenas 0,2% sobre os últimos três meses de 2011, os mais pessimistas já falam em um PIB inferior a 2% no ano.



Se as previsões se confirmarem, as receitas serão menores e o governo terá de rever para baixo o Orçamento de 2013, já que a proposta enviada ao Congresso foi feita considerando um crescimento de 4,5% para 2012.



Além disso, o cenário externo não é nada animador, devido à crise na Europa e à queda no preço das commodities. Para piorar, a taxa de investimento da economia brasileira caiu de 21%, para 19% do PIB no primeiro trimestre de 2012.



O governo adotou como prioridade o uso de todo o poder de fogo disponível para estimular o crédito e o consumo, em detrimento da folha de pessoal. É uma tentativa desesperada de reaquecer a economia.



Prova disso foi a liberação de R$ 20 bilhões anunciada na última sexta-feira (15/06) para financiar obras de infraestrutura por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES).



Diante desse cenário, as centrais sindicais já aceitaram flexibilizar a demanda. A nova proposta é para desmembrar o reajuste. Assim, eles querem uma correção de 10,58%, percentual equivalente à reposição inflacionária acumulada entre abril de 2010 a fevereiro de 2012, para todas as carreiras.



Ainda conforme a nova proposta, os 12,2% restantes, calculados com base no crescimento do PIB em igual período, poderiam ser distribuídos apenas entre algumas carreiras, de forma não linear, desde que seguindo o preceito do combate às distorções.



Até o momento, o governo não aceitou discutir nem mesmo a segunda proposta. A grande questão é que há uma promessa de greve geral para a semana que vem, que incluirá até o Judiciário. O governo sabe que não vai conseguir peitar todo o funcionalismo ao mesmo tempo.



Por isso, a Secretaria de Relações do Trabalho, encarregada das negociações, empenha todos os esforços para fazer valer a velha estratégia do dividir para conquistar. Basta observar a situação dos professores das universidades federais, os primeiros a deflagrar uma greve nacional.



Há um mês de braços cruzados e com mais de 50 universidades paradas, eles são os únicos que obtiveram uma promessa de contraproposta, a ser apresentada na próxima terça-feira pelo Ministério do Planejamento. A reunião será separada da mesa geral de negociação, que ocorre paralelamente e inclui o conjunto das demais carreiras.



O encontro entre representantes do governo e dos professores, no próximo dia 19, será um momento decisivo. Se os professores, de fato, conseguirem um acordo que garanta seu quinhão no Orçamento de 2013, é quase certo que a campanha salarial caminhará para uma situação em que os aumentos virão no grito: só vão levar a sua parte os que fizerem mais barulho.



Seria a repetição da política que vemos na distribuição de incentivos tributários, onde ganha quem fala mais alto. Tal prática pode mitigar as pressões no curto prazo, especialmente em ano eleitoral, mas a perspectiva de futuro é a do agravamento das distorções. É uma bomba relógio que, cedo ou tarde, vai estourar.



Fonte: Blog do Servidor



Postado por Siqueira às 10:28

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS A GENTILEZA DOS AUTORES QUE NOS BRINDAM COM OS SEUS PRECIOSOS COMENTÁRIOS.

##############PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL##############