Logomarca do portal

Logomarca do portal
Prezado leitor, o Portal do Servidor Publico do Brasil é um BLOG que seleciona e divulga notícias que são publicadas nos jornais e na internet, e que são de interesse dos servidores públicos de todo o Brasil. Todos os artigos e notícias publicados têm caráter meramente informativo e são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados nos links ao final de cada texto, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Bem vindo ao nosso Portal

Seja bem-vindo ao nosso site!!!


OS DESTEMIDOS GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO

OS DESTEMIDOS  GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO
A situação é grave de todos os servidores da ex. Sucam dos Estados de Rondônia,Pará e Acre, que realizaram o exame toxicologicos, foram constatada a presença de compostos nocivos à saúde em níveis alarmantes. VEJA A NOSSA HISTÓRIA CONTEM FOTO E VÍDEO

SINDSEF RO

SINDSEF RO
SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICO DE RONDÔNIA

NOTÌCIAS DA CONDSEF

NOTÌCIAS DA CONDSEF
CONDSEF BRASIL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL
QUER COMPRAR OU VENDER É AQUI!!

GRUPO OFICIAL DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA

GRUPO OFICIAL  DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA
Este Grupo quer reiterar a gratidão e o respeito que sempre dedicam ao serviço público. Respeito expresso no diálogo: faça porte dessa família CURTINDO NOSSO PÁGINA NO FACEBOOK

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...
A VOZ DO POVO NA TRIBUNA

CAPESAUDE/CAPESESP

CAPESAUDE/CAPESESP
FOMULÁRIOS

Fale com a CAPESESP

Fale com a CAPESESP
ATEDIAMENTO VIRTUAR

TRANSIÇÃO DE GOVERNO 2018 2019

SELECIONE SEU IDIOMA AQUI.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Qual Será O Futuro Dos Servidores Do Instituto Brasileiro De Museus?



Metrópoles     -     13/09/2018


A atitude impulsiva do governo federal de criar a Agência Brasileira de Museus (Abram) por meio de medida provisória e extinguir o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) depois do incêndio que destruiu o Museu Nacional no Rio de Janeiro tem sido motivo de críticas, especialmente pelo formato de gestão. Cerca de 640 servidores de carreira e comissionados estão na berlinda, pois serão remanejados, exonerados ou dispensados.


O principal motivo (e preocupação) está na mudança de natureza jurídica de uma entidade para outra. A medida permitirá que sejam celebrados contratos para recebimento de recursos privados e doações destinadas à administração e manutenção de 27 museus federais sem impacto no orçamento público.


A Abram será um serviço social autônomo, como ocorre com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae), com orçamento e gestão próprios, mas vinculada ao Ministério da Cultura. Também será criada a Secretaria de Museus e Acervos Museológicos, que terá a função de definir diretrizes de políticas públicas.


A alteração de entidade pública para privada terá impacto direto nos servidores públicos. Como uma autarquia, o Ibram segue o regime estatutário de contratação, por meio de concurso público, submetido à Lei nº 8.112/1990, com garantia de estabilidade e outros benefícios próprios do setor público.


O que não ocorrerá com a Abram, que, apesar do nome, não é uma autarquia, mas uma entidade sem fins lucrativos de direito privado. Seus profissionais só poderão ser contratados obedecendo o regime celetista, ainda que sejam realizados processos seletivos simplificados.


Redistribuição e exoneração


De acordo com levantamento feito pela coluna Vaga Garantida com dados do Portal de Transparência, atualmente, 640 pessoas estão ligadas ao Ibram – 589 concursadas, 21 cedidas e 28 sem vínculo, ocupando cargos em comissão. Entre os efetivos, 29 têm cargos com comissão e 88 exercem funções de confiança. Para fechar a conta, há dois aposentados.


Na prática, o quadro da autarquia que será extinta era composto por 24,6% de servidores que recebiam complemento financeiro por suas funções, inclusive de chefia, coordenação e direção. O orçamento para pagamento da folha é superior a R$ 5 milhões mensais. Essa realidade colocou em xeque a eficiência da instituição responsável por gerir um orçamento médio de R$ 68,75 milhões ao longo de oito anos.


Ministério da Cultura


A medida provisória publicada no Diário Oficial na última terça-feira (11/9) determina que todos os cargos em comissão, as funções de confiança e as gratificações do Ibram sejam transferidos ao Ministério da Cultura e que seus ocupantes “automaticamente exonerados ou dispensados”.


Aqueles que integram o Plano Especial de Cargos da Cultura do quadro de servidores do Ibram serão redistribuídos a critério do ministério com a extinção do instituto. Uma das opções será cedê-los para o exercício na Abram e para a Secretaria de Museus e Acervos Museológicos, condição que ainda será avaliada.


Apesar de ter efeito imediato, a medida provisória dependerá da aprovação do Congresso Nacional para se tornar lei, respeitando o prazo máximo de 120 dias.


O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, garantiu, em reunião com os servidores também na terça-feira, que as atividades não vão parar enquanto os trâmites de criação e extinção estiverem em andamento.


As incertezas e a falta de participação dos servidores nas definições provocaram insatisfação. A maior crítica está no que consideram ser a privatização das decisões relacionadas aos museus e seus acervos.


Curta vida do Ibram


O Ibram foi criado em 2009, com a responsabilidade de substituir o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) na gestão relacionada aos museus federais. Foram criadas 425 vagas efetivas e 86 cargos comissionados e funções de confiança.


No ano seguinte, foi realizado o primeiro e único concurso para preenchimento desses postos. Foram oferecidas 294 vagas. As ofertas se destinavam aos seguintes cargos: analista I; técnico em assuntos educacionais; técnico em assuntos culturais, exclusivo para graduados; e assistente técnico I, para profissionais com nível médio completo. As remunerações iniciais oferecidas variaram entre R$ 2,1 mil e R$ 3 mil, já inclusa a Gratificação de Desempenho de Atividade Cultural (GDAC).


A seleção foi realizada pela Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab), que aplicou provas objetivas e discursivas para 35.415 inscritos. Cerca de 1 mil candidatos fez parte da lista de aprovados no resultado final. A seleção foi prorrogada em 2012 e perdeu a validade dois anos depois.


Por Letícia Nobre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS A GENTILEZA DOS AUTORES QUE NOS BRINDAM COM OS SEUS PRECIOSOS COMENTÁRIOS.

##############PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL##############