Logomarca do portal

Logomarca do portal
Prezado leitor, o Portal do Servidor Publico do Brasil é um BLOG que seleciona e divulga notícias que são publicadas nos jornais e na internet, e que são de interesse dos servidores públicos de todo o Brasil. Todos os artigos e notícias publicados têm caráter meramente informativo e são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados nos links ao final de cada texto, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Bem vindo ao nosso Portal

Seja bem-vindo ao nosso site!!!


OS DESTEMIDOS GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO

OS DESTEMIDOS  GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO
A situação é grave de todos os servidores da ex. Sucam dos Estados de Rondônia,Pará e Acre, que realizaram o exame toxicologicos, foram constatada a presença de compostos nocivos à saúde em níveis alarmantes. VEJA A NOSSA HISTÓRIA CONTEM FOTO E VÍDEO

SINDSEF RO

SINDSEF RO
SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICO DE RONDÔNIA

NOTÌCIAS DA CONDSEF

NOTÌCIAS DA CONDSEF
CONDSEF BRASIL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL
QUER COMPRAR OU VENDER É AQUI!!

GRUPO OFICIAL DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA

GRUPO OFICIAL  DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA
Este Grupo quer reiterar a gratidão e o respeito que sempre dedicam ao serviço público. Respeito expresso no diálogo: faça porte dessa família CURTINDO NOSSO PÁGINA NO FACEBOOK

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...
A VOZ DO POVO NA TRIBUNA

CAPESAUDE/CAPESESP

CAPESAUDE/CAPESESP
FOMULÁRIOS

Fale com a CAPESESP

Fale com a CAPESESP
ATEDIAMENTO VIRTUAR

TRANSIÇÃO DE GOVERNO 2018 2019

SELECIONE SEU IDIOMA AQUI.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Cancelada pela segunda vez reunião da comissão da carreira da Receita Federal


Agência Câmara Notícias     -     16/11/2016


A reunião da Comissão Especial sobre a Carreira da Receita Federal (PL 5864/16) foi cancelada há pouco por falta de quórum.


Foi a segunda vez que o debate sobre dez destaques ao texto, aprovado na quarta-feira (10), foi encerrado sem atingir o quórum mínimo. Apenas sete deputados marcaram presença, quando o necessário seria, pelo menos, 16 membros para a votação dos destaques, que são modificações ao texto principal. 


Entre os destaques está a restrição aos auditores fiscais a possibilidade de requisitar força policial e a precedência sobre outras autoridades administrativas. Pelo texto aprovado, qualquer um dos cargos da Carreira Tributária e Aduaneira da Receita Federal do Brasil poderão fazer essa solicitação. Outro destaque quer retirar o porte de arma de fogo, no exercício da função, dado aos servidores da Receita.


“Está evidente a falta de quórum. Quero pedir para todos os setores [de servidores] o envolvimento. A gente tem mais a semana que vem e uma semana derradeira em novembro”, disse o presidente do colegiado, deputado Júlio Delgado (PSB-MG). Segundo ele, o texto precisa sair da Câmara até novembro para ser analisado pelo Senado antes do fim do ano legislativo. 


Uma nova reunião foi marcada para a próxima terça-feira (22), às 14 horas.


Mudança de integrantes


O presidente da comissão mostrou preocupação com as mudanças de integrantes na comissão. “Já tivemos alteração de oito nomes. Trabalhem com os líderes porque essas substituições não são razoáveis. É muita substituição para uma comissão tão importante como essa”, disse Delgado.


Segundo ele, a mudança se assemelha ao que aconteceu no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar durante o julgamento da representação contra o ex-deputado Eduardo Cunha.


Texto-base


O colegiado aprovou na quarta-feira (9), por 16 votos a 13, o relatório do deputado Wellington Roberto (PR-PB), que mantém os reajustes nos salários das carreiras da Receita Federal e de auditores fiscais do Trabalho.


O relator voltou atrás e manteve restrita aos auditores fiscais a autoridade tributária e aduaneira da União. O substitutivo anterior previa que tanto auditores quanto analistas seriam autoridades tributárias e aduaneiras. Esse foi o principal ponto de divergência na discussão da terça-feira (8).


Na prática, a redação aprovada pelo colegiado mantém o auditor fiscal como autoridade para fiscalização e cobrança de tributos, como já estabelece a lei que trata da estruturação da carreira dos auditores e analistas tributários da Receita Federal.



Caso a comissão aprove a proposta, o texto segue direto para o Senado, a não ser que haja recurso para análise pelo Plenário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS A GENTILEZA DOS AUTORES QUE NOS BRINDAM COM OS SEUS PRECIOSOS COMENTÁRIOS.

##############PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL##############