Logomarca do portal

Logomarca do portal
Prezado leitor, o Portal do Servidor Publico do Brasil é um BLOG que seleciona e divulga notícias que são publicadas nos jornais e na internet, e que são de interesse dos servidores públicos de todo o Brasil. Todos os artigos e notícias publicados têm caráter meramente informativo e são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados nos links ao final de cada texto, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Bem vindo ao nosso Portal

Seja bem-vindo ao nosso site!!!


OS DESTEMIDOS GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO

OS DESTEMIDOS  GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO
A situação é grave de todos os servidores da ex. Sucam dos Estados de Rondônia,Pará e Acre, que realizaram o exame toxicologicos, foram constatada a presença de compostos nocivos à saúde em níveis alarmantes. VEJA A NOSSA HISTÓRIA CONTEM FOTO E VÍDEO

SINDSEF RO

SINDSEF RO
SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICO DE RONDÔNIA

NOTÌCIAS DA CONDSEF

NOTÌCIAS DA CONDSEF
CONDSEF BRASIL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL
QUER COMPRAR OU VENDER É AQUI!!

GRUPO OFICIAL DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA

GRUPO OFICIAL  DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA
Este Grupo quer reiterar a gratidão e o respeito que sempre dedicam ao serviço público. Respeito expresso no diálogo: faça porte dessa família CURTINDO NOSSO PÁGINA NO FACEBOOK

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...
A VOZ DO POVO NA TRIBUNA

CAPESAUDE/CAPESESP

CAPESAUDE/CAPESESP
FOMULÁRIOS

Fale com a CAPESESP

Fale com a CAPESESP
ATEDIAMENTO VIRTUAR

TRANSIÇÃO DE GOVERNO 2018 2019

SELECIONE SEU IDIOMA AQUI.

domingo, 22 de maio de 2011

Na Mira da Verdade





















http://fr.truveo.com/video-detail/programa-na-mira-da-verdade-somente-os-144-mil-sero-salvos/3604626610



O SÁBADO E O POVO DE DEUS



Deus criou os primeiros seres humanos, e depois, descansou no sábado. Essa associação do povo de Deus com o sábado dá início a um padrão que segue ao longo do restante da Bíblia. Desde o início do tempo e até o fim, o sábado se tornou repetidamente símbolo do poder de Deus para restaurar, Seu povo

Embora desde o Éden e, daí em diante, a humanidade se tenha rebelado, Deus ainda buscou um povo para Si mesmo. Depois do dilúvio, Ele chamou Abrão para dar início a esse povo. Mais tarde, Seu povo foi para o Egito, onde a escravidão quase o destruiu. 0 Senhor precisou instilar neles o senso de identidade como Seu povo. Enquanto os levava pelo deserto, Ele lhes assegurou que cuidaria deles concedendo-lhes o maná (Êxo. 16:13-36). Sua obediência durante o ciclo do maná e seu descanso no sábado se tornaram um sinal de que aceitavam Deus como seu Senhor e se propunham a ser Seu povo.
No Sinai, Deus os declarou "nação santa" (Êxo. 19:6). Eles existiam só porque Ele os livrara da escravidão (Êxo. 20:2; Deut. 5:15), e os criara como um povo. Lá, Ele proclamou os Dez Mandamentos, inclusive o do sábado. A observância do sábado se tornou símbolo de que reconheciam serem Seu povo. O sábado não foi preeminente apenas na formação do povo de Deus; também se fornou preeminente na Escritura sempre que enfrentavam ameaça de destruição, assimilação ou dispersão. Por exemplo, II Reis 11. Depois da execução de Atalia, Joiada fez uma aliança entre o Senhor, o rei e o povo, para que fossem o povo do Senhor" (v. 17).

A troca regular da guarda no sábado permitiu que Joiada reunisse todas as forças do templo sem atrair suspeita imediata, e foi possível explicar que, mesmo sendo sábado, o motivo era corriqueiro. A Bíblia raramente entra em grandes detalhes sobre qualquer coisa, especialmente sem razão. Seu estão literário é extremamente conciso e inclui só o que o autor considerou vital. Assim, quando a Escritura menciona o que a princípio poderia parecer um ponto secundário, devemos prestar atenção especial. O autor de II Reis poderia ter descrito o golpe de Estado sem



declarar em que dia isso ocorreu. A Escritura raramente declara o dia em que algo aconteceu. Ao mencionar o sábado junto com a estipulação de uma aliança, o autor dirige nossa atenção para a experiência do Sinai. O povo que Atalia quase destruiu com suas atividades pagãs estava agora restaurado à relação com Deus.

Igualmente, o livro de Isaías fala muito sobre o sábado. Mostra como os estrangeiros residentes e os eunucos ambos com poucos direitos ou, pelo menos, cidadãos de segunda classe - podiam, observando o sábado, se tornar parte do povo de Deus (Isa. 56). A observância do sábado também faz parte da discussão do profeta sobre a verdadeira adoração (Isa. 58), e adoração verdadeira consiste em relacionamento adequado com Deus e com a humanidade. Isaías também declarou que o povo de Deus iria para o exílio por causa da rebelião nacional, mas quando Ele os restabelecesse com o restante da humanidade em uma Nova Terra, eles adorariam o Senhor de um sábado a outro sábado (Isa. 66:22 e 23).

Escrito por Augusto às 10h30 AM


VOLTANDO-SE PARA DEUS



Pouco antes de as forças de Babilônia destruirem Jerusalém, o profeta Jeremias também enfatizou o sábado (Jer. 17:19-27). Judá corria o risco de extinção como nação e até como povo. No entanto se eles honrassem o sábado, ]erusalém seria habitada para sempre (vs. 24-26). Mas eles se recusaram a ouvir o profeta.


Também aparecem referências ao sábado durante o exílio e, mais tarde, Ezequiel esboça a história do povo de Deus antes de anunciar que Ele haveria de restaurar Israel, fazendo o povo retornar do exílio (Ezeq. 20).


Por duas vezes, Ezequiel mencionou que o sábado era um sinal ou símbolo da relação de Deus com Israel como povo (vs. 12 e 20).


Quando alguns dos exilados voltaram de Babilônia, novamente o sábado foi realçado na Bíblia. Em seu esforço para restaurar a identidade da vida religiosa em Jerusalém, Neemias verificou que seus habitantes, associados aos pagãos ao seu redor, haviam transformado o sábado em nada mais que outro dia de negócios (Nee. 13:15-22). A passagem menciona especificamente os tírios - não israelitas - que traziam a Jerusalém peixes e outras mercadorias e usavam o sábado como dia de negócios (v. 16).

Esse incidente mostra o perigo da assimilação que ameaçava o povo de Jerusalém. os não israelitas atuavam na cidade e até mesmo no pátio do templo (vs, 1-9). Muitos dos que pertenciam ao povo de Deus, inclusive um dos filhos do sumo sacerdote, tinham esposas não israelitas (vs. 23-30). As crianças nem sequer sabiam falar a língua dos seus pais. O povo de Deus estava perdendo a identidade. A fim de deter o processo destrutivo, Neemias enfatizou o sábado como símbolo de sua identidade como povo de Deus e de sua submissão a Ele.



No Novo Testamento, o povo de Deus havia pendido para o outro extremo. A rígida observância do sábado por parte de muitos o havia tornado uma barreira que isolava seu testemunho às outras nações. Em Seus milagres no sábado, Jesus buscou remover todo empecilho que desencorajasse os outros de juntar-se ao povo de Deus. Quando Deus fizer Seu apelo final aos que desejarem ser Seu povo, o sábado representará novamente o papel que teve desde o início em restaurar e fortalecer sua identidade.


Escrito por Augusto às 10h30 AM



O PRICÍPIO UNIVERSAL DO SÁBADO



O sábado chama para a Natureza nossos pensamentos, e põe-nos em comunhão com o Criador. No canto do pássaro, no sussurro das árvores e na música do mar, podemos ouvir ainda Sua voz, a voz que falava com Adão no Éden, pela viração do dia. E ao Lhe contemplarmos o poder na Natureza, encontramos conforto, pois a palavra que criou todas as coisas, é a mesma que comunica vida à alma.


Aquele "que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo". II Cor. 4:6. Foi esse pensamento que despertou o cântico:"Tu, Senhor, me alegraste com os Teus feitos;Exultarei nas obras das Tuas mãos. Quão grandes são, Senhor, as Tuas obras. Mui profundos são os Teus pensamentos." Sal. 92:4 e 5.


O sábado estava incluído na lei dada no Sinai; mas não foi então que primeiro se tornou conhecido como dia de descanso. O povo de Israel tinha disso conhecimento antes de chegarem ao Sinai. No caminho para aí, o sábado era guardado. Quando alguns o profanaram, o Senhor os repreendeu, dizendo: "Até quando recusareis guardar os Meus mandamentos e as Minhas leis?" Êxo. 16:28.

O sábado não se destinava meramente a Israel, mas ao mundo. Fora tornado conhecido ao homem no Éden, e, como os demais preceitos do decálogo, é de imutável obrigatoriedade. Dessa lei de que o quarto mandamento é uma parte, declara Cristo: "Até que o céu e a Terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido." Mat. 5:18. Enquanto céus e Terra durarem, continuará o sábado como sinal do poder do Criador. E quando o Éden florescer novamente na Terra, o santo e divino dia de repouso será honrado por todos debaixo do Sol. "Desde um sábado até ao outro", os habitantes da glorificada nova Terra irão "adorar perante Mim, diz o Senhor". Isa. 66:23.

Nenhuma outra das instituições dadas aos judeus tendia a distingui-los tão completamente das nações circunvizinhas, como o sábado. Era intenção do Senhor que sua observância os designasse como adoradores Seus. Seria um sinal de sua separação da idolatria, e ligação com o verdadeiro Deus. Mas a fim de santificar o sábado, os homens precisam ser eles próprios santos. Devem, pela fé, tornar-se participantes da justiça de Cristo. Quando foi dado a Israel o mandamento: "Lembra-te do dia do sábado, para o santificar" (Êxo. 20:8), o Senhor lhes disse também: "E ser-Me-eis homens santos." Êxo. 22:31. Só assim poderia o sábado distinguir Israel como os adoradores de Deus.


Escrito por Augusto às 10h29 AM


O SÁBADO JUDAICO

Ao se apartarem os judeus do Senhor, e deixarem de tornar a justiça de Cristo sua pela fé, o sábado perdeu para eles sua significação. Satanás estava procurando exaltar-se e afastar os homens de Cristo, e trabalhou para perverter o sábado, pois é o sinal do poder de Cristo. Os guias judaicos cumpriram a vontade de Satanás, rodeando o divino dia de repouso de enfadonhas exigências.

Nos dias de Cristo, tão pervertido se tornara o sábado, que sua observância refletia o caráter de homens egoístas e arbitrários, em lugar de o fazer ao caráter do amorável Pai celeste. Virtualmente os rabis representavam a Deus como dando leis que os homens não podiam obedecer. Levavam o povo a olhar a Deus como tirano, e a pensar que a observância do sábado, segundo Ele a exigia, tornava os homens duros de coração e cruéis. Competia a Cristo a obra de esclarecer essas mal-entendidas concepções. Embora os rabis O seguissem com impiedosa hostilidade, Ele nem sequer parecia conformar-Se com o que requeriam, mas ia avante, guardando o sábado segundo a lei divina.

Um sábado, ao voltarem Jesus e os discípulos do local do culto, passaram por uma seara madura. Jesus continuara Seu trabalho até tarde e, ao passarem pelos campos, os discípulos começaram a apanhar espigas e a comer os grãos depois de esfregá-los nas mãos. Em qualquer outro dia, esse ato não teria despertado nenhum comentário, pois uma pessoa que passasse por uma seara, ou pomar, ou vinha, tinha liberdade de colher o que lhe apetecesse comer. Deut. 23:24 e 25. Mas, fazer isso no sábado, era considerado um ato de profanação. Não somente era o apanhar a espiga uma espécie de ceifa, como o esfregá-la nas mãos uma espécie de debulha. Assim, na opinião dos rabis, havia dupla ofensa.


Os espias queixaram-se imediatamente a Jesus, dizendo: "Vês? por que fazem no sábado o que não é lícito?"

Quando acusado de pisar o sábado, em Betesda, Jesus Se defendeu, afirmando Sua filiação de Deus e declarando que operava em harmonia com o Pai. Agora, que eram acusados Seus discípulos, cita aos acusadores exemplos do Antigo Testamento, atos praticados no sábado pelos que estavam ao serviço de Deus.


Os mestres judaicos orgulhavam-se de seu conhecimento das Escrituras, e na resposta do Salvador havia indireta censura a sua ignorância das sagradas letras.

"Nunca lestes", disse Ele, "o que fez Davi quando teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus, e tomou os pães da proposição, ... os quais não é lícito comer senão só aos sacerdotes?" Luc. 6:3 e 4. "E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado." Mar. 2:27 e 28. "Não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa? Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo." "O Filho do homem até do sábado é Senhor. Mat. 12:5 e 6.


Se era lícito a Davi satisfazer a fome comendo do pão que fora separado para um fim santo, então era lícito aos discípulos prover a sua necessidade colhendo umas espigas nas sagradas horas do sábado. Demais, os sacerdotes no templo realizavam maior trabalho no sábado que em outros dias. O mesmo trabalho, feito em negócios seculares, seria pecado, mas a obra dos sacerdotes era realizada no serviço de Deus. Estavam praticando os ritos que apontavam ao poder redentor de Cristo, e seu trabalho achava-se em harmonia com o desígnio do sábado. Agora, porém, viera o próprio Cristo. Os discípulos, fazendo a obra de Cristo, estavam empenhados no serviço de Deus, e o que era necessário à realização dessa obra, era direito fazer no dia de sábado.


Escrito por Augusto às 10h28 AM

[ (0) ] [ envie esta mensagem ]



JESUS CURA NA SINAGOGA NO SÁBADO


Outro sábado, ao entrar Jesus na sinagoga, viu aí um homem cuja mão era mirrada. Os fariseus O observavam, ansiosos de ver o que faria. Bem sabia o Salvador que, curando no sábado, seria considerado transgressor, mas não hesitou em derribar o muro das exigências tradicionais que atravancavam o sábado. Jesus pediu ao enfermo que se adiantasse, perguntando então: "É lícito no sábado fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar?" Era uma máxima entre os judeus que deixar de fazer o bem, havendo oportunidade para isso, era fazer mal; negligenciar salvar a vida, era matar. Assim Jesus os atacou com suas próprias armas. E eles calaram-se. "E, olhando para eles em redor com indignação, condoendo-Se da dureza do seu coração, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e foi-lhe restituída a sua mão, sã como a outra". Mar. 3:4 e 5.


Quando interrogado: "É lícito curar no sábado?" Jesus respondeu: "Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados." Mat. 12:10-12.

Os espias não ousaram responder a Jesus em presença da multidão, por temor de se envolverem em dificuldades. Sabiam que Ele dissera a verdade. De preferência a violar suas tradições, deixariam um homem sofrer, ao passo que socorreriam um animal por causa do prejuízo para o possuidor, caso fosse o mesmo negligenciado. Assim, maior era o cuidado que manifestavam por um animal, que por um homem, criado à imagem divina. Isso ilustra a operação de todas as religiões falsas. Criam no homem o desejo de se exaltar acima de Deus, mas o resultado é degradá-lo abaixo do animal.

Toda religião que combate a soberania de Deus, despoja o homem da glória que lhe pertencia na criação e lhe deve ser restituída em Cristo. Toda religião falsa ensina seus adeptos a serem descuidosos para com as necessidades, sofrimentos e direitos humanos. O evangelho dá alto valor à humanidade, como resgate do sangue de Cristo, e ensina uma terna solicitude pelas necessidades e misérias do homem. O Senhor diz: "Farei que um homem seja mais precioso do que o ouro puro, e mais raro do que o ouro fino de Ofir." Isa. 13:12.


Quando Jesus Se voltou para os fariseus com a pergunta se era lícito no dia de sábado fazer bem ou mal, salvar ou matar, pôs-lhes diante os próprios maus desígnios deles. Estavam-Lhe dando caça à vida com ódio amargo, ao passo que Ele salvava a vida e trazia felicidade às multidões. Seria melhor matar no sábado, como estavam planejando, do que curar o aflito, como fizera Ele? Seria mais justo ter o homicídio no coração durante o santo dia de Deus, que amor para com todos os homens - amor que se exprime em atos de misericórdia?
Na cura da mão mirrada, Jesus condenou o costume dos judeus, e colocou o quarto mandamento no lugar que Deus lhe destinara. "É ... lícito fazer bem nos sábados", declarou Ele. Pondo à margem as absurdas restrições dos judeus, Cristo honrou o sábado, ao passo que os que dEle se queixavam estavam desonrando o santo dia de Deus.


Cristo queria ensinar, aos discípulos e aos inimigos, que o serviço de Deus está acima de tudo. O objetivo da obra de Deus, neste mundo, é a redenção do homem; portanto, tudo quanto é necessário que se faça no sábado no cumprimento dessa obra, está em harmonia com a lei do sábado. As necessidades da humanidade sofredora não devem jamais ser negligenciadas. Por Seu exemplo o Salvador nos mostrou que é correto aliviar os sofrimentos no sábado. O trabalho desnecessário, porém, tal como tratamentos usuais e operações, que possam ser adiados, devem sê-lo.


http://diadosenhor.zip.net/


O Dia do Senhor




Faz anos, uma pessoa cristã, indo de casa em casa, animando os outros a estudarem a Bíblia, deteve-se para falar a um homem que trabalhava em seu jardim. Quando lhe sugeriu que tomasse algum tempo para familiarizar-se com a Bíblia e com a mensagem que contém, disse-lhe aquele, categoricamente, que estava por demais ocupado para estudar a Bíblia. E para acentuar mais o pouco tempo de que dispunha, acrescentou:

- Ora, tenho tanto trabalho que nem me sobra tempo para ler as revistas cômicas!



Muita gente tem a mesma atitude. Hoje em dia parece que todos andam tão ocupados que se acham incapazes de fazer tudo que deviam. Muitas pessoas têm o desejo íntimo de dedicar mais tempo a Deus. Gostariam de fazê-lo, mas a questão é: De onde tirar esse tempo?



Devemos ser muito gratos a Deus por entender Ele os problemas que nos assoberbam hoje. Ele tomou providências para que tivéssemos tempo para estudo, devoção e comunhão com Ele. Deus bem sabia que à medida que o tempo passasse e a vida se tornasse mais complexa, o homem teria a tendência de esquecer a relação existente entre ele e seu Criador. Por isso, Deus pôs à parte um período especial para que o homem pudesse refrigerar-se, deixando de lado seus muitos problemas, dificuldades e perplexidades, renovando sua relação com o Pai celestial.



Um psiquiatra disse a um paciente, não faz muito, que o que precisava era afrouxar completamente a tensão. Mediante o pagamento de setenta reais por semana, o psiquiatra comprometeu-se a ensinar-lhe a arte. Devia simplesmente afastar de seu espírito todos os problemas. Afirmava o psiquiatra que se todas as pessoas removessem para longe todas as perplexidades por um dia na semana, afrouxando completamente a tensão, haveria pouca necessidade de instituições para doentes mentais.



Deus pôs de parte um dia no qual Ele deseja que renovemos nossas forças físicas e espirituais. DEle aprendamos agora alguma coisa acerca desse dia.



1. Em o Novo Testamento, como chama Cristo, nosso Senhor, Seu dia especial de repouso e adoração? Apocalipse 1:10



2. De que dia, disse Jesus, era Ele Senhor? S. Mateus 12:8



NOTA: O Senhor diz que esse é o Seu santo dia. Isaias 58:13



3. Que dia é o sábado do "Senhor teu Deus?" Êxodo 20:8-11


4. Quando foi o sábado criado, abençoado e posto à parte por Deus, como dia santo? Genesis 2:1-4

NOTA: De Colossenses 1:16 e S. João 1:1 aprendemos que foi Jesus o agente ativo da criação. Foi Ele, pois, que descansou no sétimo dia, e o abençoou e santificou.



5. Por causa de quem fez Deus do sábado um memorial de Seu poder criador? S. Marcos 2:27 e 28


6. A quantos habitantes da Terra foi o sábado dado como um dia de recordação e repouso? Isaias 56:1-7

7. Que punição predisse Cristo que sobreviria à nação judaica se deixassem de santificar o sábado? Jeremias 17:27


8. Que exemplo deu Jesus acerca do descanso do sétimo dia? S. Lucas 4:16



9. Como protegeu Jesus o caráter sagrado do sábado, quarenta anos depois de Sua ressurreição? S. Mateus 24:20



NOTA: Jerusalém foi destruída no ano 70 A. D.



10. Como honraram os seguidores de Cristo o Seu santo dia, depois da crucifixão? S. Lucas 23:56



11. Quando pediram os gentios que S. Paulo lhes pregasse a verdade de Cristo? Atos 13:42-44



12. Da mesma forma que seu Senhor, que fazia S. Paulo no dia de sábado? Atos 17:2;18:3 e 4



13. Em que dia adorarão todos a Deus, na Terra renovada? Isaias 66:22 e 23



14. Que pede o Senhor ao Seu povo que faça em relação ao Seu santo dia? Isaias 58:13 e 14



15. Como expressamos nosso amor a Deus por nos haver criado e redimido? I S. João 5:1-3


16. O exemplo de quem seguirão os cristãos, ao escolher um dia de adoração? I S. João 2:6


--------------------------------------------------------------------------------

Várias vezes Deus afirma, na Bíblia, que o ato que O destaca como o Deus verdadeiro é Seu poder criador. Foi Ele que criou o mundo. A Terra não veio à existência por algum misterioso acaso, alguma explosão cósmica ou processo evolucionista. Ensina-nos a Bíblia que Deus, em Sua sabedoria, planeou este mundo e por Seu poder criador o trouxe à existência.

O sábado foi instituído como monumento comemorativo de Seu poder de criar. Deve também ser como um oasis para a alma do homem, no qual possa encontrar repouso e refrigério mediante a comunhão com o seu Criador. A relação da criatura para com o Criador é a verdadeira base de todo culto. Visto como essa relação jamais se poderá mudar, através de toda a eternidade toda a criação adorará a Deus no Seu santo dia de sábado.



Nunca mais do que hoje careceu o homem de um tempo para se lembrar de Deus e de Sua obra de criação. Nunca mais do que hoje precisou o homem de um tempo de repouso e de completo afastamento dos cuidados da vida, de seu espírito. Unicamente seguindo o exemplo de nosso Senhor e usando o Seu tempo da maneira em que Ele nos instruiu, poderemos encontrar a benção que Deus prometeu aos que O honram como o Criador. Jesus insta conosco para seguirmos Suas pegadas, imitando-Lhe o exemplo. Não devemos fazer isso, tambem em relagão com a observância do sábado?



(Se desejais expressar os desejos abaixo, fazei um (x) nos quadradinhos.)



É desejo meu, honrar a meu Senhor como Criador e Redentor.



Estou disposto a seguir as pegadas de meu Senhor.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS A GENTILEZA DOS AUTORES QUE NOS BRINDAM COM OS SEUS PRECIOSOS COMENTÁRIOS.

##############PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL##############