Logomarca do portal

Logomarca do portal
Prezado leitor, o Portal do Servidor Publico do Brasil é um BLOG que seleciona e divulga notícias que são publicadas nos jornais e na internet, e que são de interesse dos servidores públicos de todo o Brasil. Todos os artigos e notícias publicados têm caráter meramente informativo e são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados nos links ao final de cada texto, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Bem vindo ao nosso Portal

Seja bem-vindo ao nosso site!!!


OS DESTEMIDOS GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO

OS DESTEMIDOS  GUARDAS DA EX. SUCAM / FUNASA / MS, CLAMA SOCORRO POR INTOXICAÇÃO
A situação é grave de todos os servidores da ex. Sucam dos Estados de Rondônia,Pará e Acre, que realizaram o exame toxicologicos, foram constatada a presença de compostos nocivos à saúde em níveis alarmantes. VEJA A NOSSA HISTÓRIA CONTEM FOTO E VÍDEO

SINDSEF RO

SINDSEF RO
SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICO DE RONDÔNIA

NOTÌCIAS DA CONDSEF

NOTÌCIAS DA CONDSEF
CONDSEF BRASIL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL
QUER COMPRAR OU VENDER É AQUI!!

GRUPO OFICIAL DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA

GRUPO OFICIAL  DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA
Este Grupo quer reiterar a gratidão e o respeito que sempre dedicam ao serviço público. Respeito expresso no diálogo: faça porte dessa família CURTINDO NOSSO PÁGINA NO FACEBOOK

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...

A VOZ DO POVO NA TRIBUNA TEM PODER...
A VOZ DO POVO NA TRIBUNA

CAPESAUDE/CAPESESP

CAPESAUDE/CAPESESP
FOMULÁRIOS

Fale com a CAPESESP

Fale com a CAPESESP
ATEDIAMENTO VIRTUAR

TRANSIÇÃO DE GOVERNO 2018 2019

SELECIONE SEU IDIOMA AQUI.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Malária, adversário inesperado na Primeira Guerra Mundial

Malária, adversário inesperado na Primeira Guerra Mundial

Dezembro/2014
André Felipe Cândido da Silva *
Desenho de 1901 do Anopheles maculipennis, transmissor da malária
Desenho de 1901 do mosquito Anopheles maculipennis, transmissor da malária. Fonte: Wikipedia.
O último número do Malaria Journaltraz artigo do pesquisador da Escola de Medicina Tropical de Liverpool e da Universidade de Amsterdam Bernard Brabin sobre o impacto da malária nas tropas da Entente e do Eixo durante a Primeira Guerra Mundial. Brabin reúne as estatísticas disponíveis em diversas fontes sobre a extensão e fatalidade da doença entre os combatentes.
No artigo, intitulado “Malaria’s contribution to World War One – the unexpected adversary”, o autor explica que circunstâncias relacionadas ao conflito favoreceram a disseminação da malária. Elas estiveram relacionadas principalmente à movimentação de contingentes de populações não-imunes por regiões malarígenas e ao surgimento de condições propícias à reprodução dos insetos vetores. Medidas profiláticas como trabalhos de hidrografia sanitária, uso de mosquiteiros, administração de quinina e de controle das anofelinas – os agentes transmissores – nem sempre foram suficientes para deter as epidemias da doença.
Brabin apresenta tabelas detalhadas com dados sobre o número de casos de malária, o porcentual de mortes e o tipo de malária envolvido (se causada por parasitas da espécie vivax, mais branda ou falciparum, mais severa) nas diferentes tropas. Elenca ainda as diversas medidas profiláticas e terapêuticas, adotadas antes e depois da Primeira Guerra no controle da malária. Regiões como a Macedônia, Palestina, Mesopotâmia (correspondente aos atuais territórios do Irã e Iraque), Grécia e Itália foram afetadas por epidemias. Brabin chama atenção para o acervo de conhecimentos disponíveis sobre a doença, mas enfatiza, sobretudo, as controvérsias entre os especialistas e os impasses que ela impôs às lideranças militares, desafiadas que foram por aquele “adversário inesperado”.
O trabalho de Brabin vem se somar a literatura cada vez mais densa sobre as doenças e os serviços de saúde durante a Primeira Guerra, um aspecto importante para o estudo deste conflito que completou cem anos neste 2014 que já está findando. Baixe o artigo em PDF
* André Felipe Cândido da Silva é doutor pela Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz e faz pós-doutorado em História na USP
Leia em HCS-Manguinhos:
2011_numero02Dossiê Malária (abr.-jun. 2011)
Ferrovias, doenças e medicina tropical no Brasil da Primeira República, Benchimol, Jaime Larry and Silva, André Felipe Cândido da (set 2008, vol.15, no.3)
Malária como doença e perspectiva cultural nas viagens de Carlos Chagas e Mário de Andrade à AmazôniaLima, Nísia Trindade and Botelho, André (set 2013, vol.20, no.3, p.745-763.
As representações da malária na obra de João Guimarães RosaLacerda-Queiroz, Norinne, Queiroz Sobrinho, Antônio and Teixeira, Antônio Lúcio (jun 2012, vol.19, no.2).
Um método chamado Pinotti: sal medicamentoso, malária e saúde internacional (1952-1960)Silva, Renato da and Hochman, Gilberto (jun 2011, vol.18, no.2)
Leia também:
E no blog de HCS-Manguinhos:
Malária, maleita, doença e desejoNisia Trindade Lima e André Botelho discutem as visões do médico Carlos Chagas e do poeta Mario de Andrade sobre a moléstia.

VEJA NOSSA HISTÓRICO DOS SERVIDORES DA EX SUCAM-FUNASA/MS DO BRASIL       NESTE LINK ABAIXO



Nenhum comentário:

Postar um comentário

AGRADECEMOS A GENTILEZA DOS AUTORES QUE NOS BRINDAM COM OS SEUS PRECIOSOS COMENTÁRIOS.

##############PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL##############